domingo, 26 de novembro de 2017

O que fazer numa conexão de 19 horas em Bogotá, Colômbia ?

Confesso que a Colômbia não estava na minha lista de destinos este ano, mas após uma super promoção da Avianca, acabamos optando por fazer uma conexão longa em Bogotá para poder conhecer um pouco (bem pouco) a cidade.

Chegamos no aeroporto El Dourado pouco mais de uma hora da tarde do horário local e logo fomos para o hotel. Nos hospedamos no hotel Habitel, bem próximo do aeroporto e com transfere gratuito ida-e-volta para o aeroporto. Super recomendo

Almoçamos no hotel mesmo e seguimos de táxi umas 15h para o bairro da Candelária, centro turístico da cidade. Não tinha muito tempo e sairia super cedo no dia seguinte, então foquei mesmo nos pontos principais.

O primeiro ponto visitado foi a Praça Bolívar, na calle (rua) sete 




A praça, que já foi conhecida como "Plaza Mayor", remonta da época pré-colombiana. O local fica no coração do bairro histórico da Candelária e já foi palco de revoluções e protestos na cidade. 

No centro da praça, temos a estátua de Simón Bolivar, líder político durante a indecência colombiana, esculpida em 1846. 

O local é bem turístico e conta com várias pessoas vendendo milho para atrair os pombos e tirar fotos. É bem baratinho e a foto vale a pena, apesar de ter morrido de medo dos bichos (eu tenho medo de pombos, me julguem).


Tentando vencer o medo haha


Em 1539, um ano após a fundação de Bogotá, foi construído o primeiro prédio da praça, uma catedral. Hoje, a praça abriga, além da Catedral de Bogotá, o Capitólio Nacional e o Palácio de Justiça. 




Saindo da praça (e dos pombos), segui para a calle 11. Nesta rua, estão outras 3 principais atrações turísticas: Museu do Botero, Casa da Moeda e o centro cultural Gael Garcia Marquez




O Montserrat lá no alto ...



A ideia era focar, então segui direto para o Museu do Botero.




O museu foi construído em 2000 graças a doações do próprio Botero ao governo colombiano. Hoje, o local funciona de forma gratuita e abriga mais de 120 obras do artista. 

Para quem não sabe, Botero fazia suas obras destacando os formatos arredondados. Não é que ele "só retratava gordos", como dizem por aí, mas sim que ele explorava o universo redondo.




Em um dos quadros, é possível ver o próprio pintor, atras da modelo. 

O museu é bem legal e super vale a visita. 

De lá, segui para o Museu do Oro, mas infelizmente já estava fechado. 

Minha visita foi super rápida e é claro que não deu para conhecer a cidade toda. No geral, esperava bem mais da cidade. Achei o local bem "marrom" e mal cuidado, mas óbvio que só conheci bem pouco então não sou bom parâmetro. 

Quatro pontos que percebi por lá me chamaram atenção: táxis, clima, segurança e mal da altitude.

Sobre os táxis, na ida fomos direto do hotel, usando táxi com preço fixo então apesar de pagar um pouco mais, chegamos bem rápido ao centro. Na volta, decidimos pegar um táxi na rua mesmo mas essa espera demorou quase 2 horas! E isso porque estava no bairro mais turístico da cidade! Cada um me informava um ponto diferente e 99% dos táxis passavam já com passageiros. Foi horrível conseguir um táxi e, quando conseguimos, o motorista quase nos abandonou porque não sabia chegar até o hotel (que ficava do lado do aeroporto). Sorte que tinha GPS no celular 

O clima é frio. Estava em julho e se você vai numa conexão esperando o calor da Flórida, melhor levar um casaco para Bogotá. Estava 6 graus quando fui. 

Durante nosso pequeno passeio, não me senti insegura em nenhum momento. Óbvio que não posso falar muito pois foquei no centro. Nos aeroportos a segurança era triplicada e nas ruas vi muitos policiais.

Um dos motivos para voltarmos mais cedo pro hotel foi o mal da altitude. Bogotá fica 2460 metros acima do nível do mar e muita gente pode sentir tonturas, náuseas e mal estar geral. Eu não senti nada mas minha mãe sentiu muita cefaléia e náuseas que pouco melhoraram após uma coca-cola bem gelada (não encontrei outra opção por ali). Por isso, inclusive, que evitamos subir o Montserrat








domingo, 29 de outubro de 2017

Planejamento de viagem na Flórida: Orlando, Fort Lauderdale e Miami - Julho/2017

Em Julho deste ano tive minhas esperadas férias e embarcamos numa viagem de treze dias com foco na Flórida, Estados Unidos.  Ao todo, foram quatro cidades visitadas em dois países diferentes. 

Fui com meus pais e eles nunca haviam pensado em ir à Disney. A questão é que, ano passado, estivemos nos Estados Unidos pela primeira vez (visitando Califórnia, Nevada e Arizona) e eles ficaram totalmente encantados com a Disney (Adventure Park) da Califórnia e também com os outlets então este ano quando achamos um mega promoção aérea para a Flórida e bem nas nossas férias foi a escolha perfeita. 

Compramos as passagens pela AVIANCA com cerca de cinco meses de antecedência (Julho é alta temporada, então não dá pra bobear) com uma conexão em Bogotá, Colômbia. E o melhor: chegaríamos em Orlando mas a volta seria a partir de Miami, justamente como eu queria. 

Foi também a primeira vez que usei a AVIANCA e, honestamente, espero que não precise usar muitas vezes porque não gostei da experiência. Não sou chata com cias. aéreas mas uma sucessão de erros que poderiam ter sido evitados nos fez gostar cada vez menos dessa cia. aérea. 

Primeiramente, chegamos no balcão no aeroporto do Galeão e nosso despacho de bagagens levou exatamente UMA HORA! Sem contar o tempo de fila, só no balcão mesmo. Como nossa conexão em Bogotá seria longa (20h) perguntei sobre pegar as malas e cada funcionário me deu uma informação diferente (resolvi chegar e tive que pegar as malas em Bogotá, imagina se eu tivesse acreditado e esperado as benditas em Orlando?!). Depois no avião: a poltrona na frente do meu pai quebrada, ou seja, o espaço dele se reduziu bastante e meu fone de ouvido, quebrado. 

Na volta, o vôo de Miami para Bogotá atrasou TRÊS horas !! E adivinhem nossa surpresa quando o equipamento de segurança do assento do meu pai não existia. Exatamente os mesmos filmes e nenhuma informação sobre o atraso. Chegando em Bogotá, nos disseram para correr (literalmente) para conseguir pegar o vôo para o Rio e chegando no portão de embarque, nova surpresa: este vôo também estava TRÊS horas atrasado! 

Óbvio que o importante é chegar em segurança e deu tudo certo, mas se puder escolher prefiro pular a avianca da próxima vez. 





OS PARQUES 

Em resumo, são 3 os complexos principais de parques na cidade de Orlando e arredores. São eles: UNIVERSAL, DISNEY E SEAWORLD 

No complexo Disney, os principais parques são o Magic Kingdom, o Animal Kingdom, Epcot e o Hollywood Studios. De um modo geral, este complexo é o mais "característico"da Disney, onde podemos ver desde montanhas-russas legais até os tradicionais desfiles a tarde, show de fogos e o famoso castelona Disney. É aqui também que conseguimos tirar fotos com vários personagens característicos dos filmes. 

Muita gente diz que esse complexo é muito infantil. Apesar de realmente ter muitas atrações para crianças, é onde está a magia da Disney e, honestamente, tem muitos brinquedos legais para todas as idades e gostos

Se você gosta apenas de atrações radicais, pode sair um pouco decepcionado. De modo geral, as montanhas-russas daqui são mais leves e não tem looping. 

O complexo Universal tem uma cara de um lugar super moderno, com simuladores incríveis e realistas. Aqui os principais parques são o Island of Adventure (que eu amei) e o Universal Studios. 

É neste complexo que estão as atrações de Harry Potter e as montanhas-russas do Hulk e a Hollywood Rock It, com subida de 90 graus. 

O Volcano Bay é o terceiro parque do complexo, bem próximo a International Drive. É um parque aquático, mas não cheguei a conhecer.

Já o complexo Sea World, como o próprio nome já diz, tem como temática o fundo do mar. Os principais parques são o próprio SeaWorld e o Bush Gardens, localizado na cidade de Tampa.

O SeaWorld é um parque com atrações para vários gostos e shows com animais. Neste complexo estão algumas das mais temidas montanhas-russas de Orlando. 

Tive que optar por conhecer apenas cinco parques. Li muito sobre cada um e optei os 5 que mais nos agradaram. Um ponto importante é checar a manutenção de algumas atrações. Dispensamos o Epcot justamente porque as principais atrações que queríamos ir estriam fechadas para manutenção em Julho. 

Vale lembrar que, financeiramente, é muito mais vantajoso comprar o maior número de parques/dias do mesmo complexo, para aproveitar as promoções. Não fiz isso por conta do pouco tempo. 

No fim, os parques escolhidos foram Magic Kingdom, Animal Kingdom, Universal Studios, Island of Adventure e Sea World. 

O lema é fazer um parque por dia e ponto final! Novamente, não fiz isso. Já tinha ido ao Universal Studios da Califórnia, então queria focar no Island of Adventure, já que muitas atrações do Universal são semelhantes as de Los Angeles, que eu já tinha ido. 

Em breve falarei sobre cada parque/dia separadamente, explicando sobre a compra de ingressos e as principais dicas e atrações


Enfim, o resumo da ópera foi o seguinte:

  • DIA 1
Ida para Bogotá e tarde/noite livres para conhecer a cidade
  • DIA 2 
Ida de Bogotá para Orlando de manhã. Passeios na International Drive a tarde/noite
  • DIA 3 
SeaWorld
  • DIA 4 
Universal Studios e Island of Adventure 
  • DIA 5 
Compras em outlets 
  • DIA 6
Magic Kingdom 
  • DIA 7 
Animal Kingdom 

  • DIA 8 
Disney Springs e compras 

  • DIA 9 
Ida de Orlando para Fort Lauderdale e passeio pela cidade 

  • DIA 10 
Outlet Sawgrass Mills e após ida para Miami

  • DIA 11 
Miami Beach 

  • DIA 12
Downton Miami (Bayside Market, Venetian Islands, Little Havana e Wynwood Walls)

  • DIA 13 
Miami Beach e vôo noturno pro Rio 





domingo, 15 de outubro de 2017

Roteiro de 2, 3, 5 ou 7 dias em Londres

Londres é uma cidade enorme e com muita, mas muita coisa pra fazer. Uma vez fui pra Londres passar 12 dias só na cidade (mais outros dias de bate-e-voltas) e mesmo assim ainda teve coisa que não consegui fazer, mesmo já tendo estado na cidade outras 3 vezes!

Uma vez uma amiga me perguntou o que dava pra fazer numa conexão de um dia em Londres, obvio que não dá pra conhecer nem 1/10 da cidade, mas se esse é o tempo que você tem, melhor se informar e focar naquilo que conseguirá ver (e depois voltar, claro)

Então vamos simplificar aqui uma sugestão de roteiro com os principais atrativos para quem vai passar alguns dias na cidade. Lembrando que são roteiro cansativos, acordando cedo e chegando no hotel só pra dormir, sem perder tempo.



ROTEIRO DE 2 DIAS EM LONDRES 

  • DIA 1 
Comece o dia na Trafalgar Square, a praça considerada o coração da cidade. Nela, pode aproveitar e conhecer a National Gallery, um museu de arte localizado bem ali na praça. 

Depois, siga pelo The Mall, uma avenida com chão vermelho (para lembrar um tapete vermelho) cercada pelo parque St. James e que desemboca diretamente no Palácio de Buckingham

O parque St. James é lindo (um dos mais bonitos da cidade, na minha opinião). Cheio de esquilos e alguns camundongos também, flores e um laguinho com cisnes


O ideal é chegar no Palácio de Buckingham antes das 11h da manhã, pois neste horário ocorre a troca da guarda real. O evento divide opiniões; há quem ache imperdível e quem ache super bobo e sem graça. Na minha opinião, deve ser visto ao menos uma vez, afinal poucas coisas são tão clássicas como a monarquia britânica e a troca da guarda é uma tradição pública já existente há anos, então, assista e tire suas próprias conclusões. 

A troca da guarda é um evento militar, então pode ser cancelado sem aviso prévio. Sempre confira no site oficial da cidade sobre os horários e dias do evento. Depois da troca da guarda, sugiro seguir pelo Green Park até o Hyde Park, um dos maiores parques da cidade. 

O Green Park é o parque que fica à direita do Palácio de Buckingham, famoso pela lenda de que "quem pegar uma folha de suas árvores volta à Londres". Já o Hyde Park é famoso pelo seu lago com pedalinhos e seus jardins. É lá também que encontramos o memorial à princesa Diana. 

Depois do almoço, sugiro ir de metrô até a estação de St. Jame's Park, a mais próxima da Abadia de Westminster. A abadia é linda e foi onde ocorreu o casamento de William e Kate Middleton, em abril de 2011. Lá também estão os corpos de várias personalidades, como Isaac Newton, Rainha Elizabeth I e a Rainha Mary, da Escócia. 



Obs.: A abadia é aberta a visitação, mas os horários são restritos. Se quiser conhecer a Abadia por dentro, tente chegar até umas 15h, mas vale a pena conferir os horários no site oficial, pois há dias em que só é aberto na parte da manhã. 

Saindo da Abadia, siga à pé até o píer de Westminster (bem em frente ao BigBen) e faça um boat tour. Há dois tipos de passeio de barco pelo rio Tâmisa: um deles vai até o Leste de Londres (dura cerca de 1h) e o outro até Greenwich. 

Obs.: o ideal é comprar sempre o ingresso pro passeio de barco + alguma outra atração, pois este combo sai mais barato que comprar separado. Uma ótima opção é comprar o passeio + london eye.

Chegando de volta do passeio de barco (certifique-se de desembarcar no mesmo píer), basta seguir até o London Eye, a roda gigante mais famosa da Europa.  Uma volta pela roda gigante dura cerca de 30 minutos mas não esqueça de ir até o cinema em 4D sobre Londres, ali mesmo. Super legal!

Obs.: O mais lógico seria começar este roteiro pela London Eye e ir seguindo "num sentido só" até o Hyde Park, mas eu honestamente acho que o melhor horário pra fazer esse passeio de barco e andar na London Eye é no crepúsculo/noite, porque a vista é sensacional! Muito melhor que durante o dia, então vale a pena fazer essa embolaçáo geográfica haha

Se sobrar tempo, ainda pode ir ao Sea Aquarium ou London Dungeon, que ficam bem ao lado da London Eye. 



  • DIA 2 
Começaremos o dia no Leste de Londres, descendo na estação de metrô Tower Hill. 



Logo na saída da estação, já podemos ver os resquícios do muro de Londinium (nome da cidade de Londres há milhares de anos, quando esta ainda era delimitada por um muro). 

Depois dessa parada bem rápida, siga para a Tower of London (Torre de Londres), antiga residência real britânica. 

Separe umas 3h, no mínimo para conhecer a Torre de Londres. O local é imperdível, uma mini cidade medieval com exposições  de jóias, materiais medievais e até artefatos de guerra. Tudo isso somado a atores com trajes típicos e uma vista super legal do Tâmisa. Apesar de ser uma atração que exige um pouco mais de tempo, vale MUITO a pena e considero imperdível!

Para quem quiser saber um pouco mais sobre o castelo, sugiro assistir ao filme "A outra", com Nathalie Portman, que explica como era a vida no local no reinado de Henrique VIII

Saindo da Torre de Londres, atravesse o rio Tâmisa pela Tower Bridge, "aquela ponte que levanta". Atualmente, dá pra subir até um patamar com piso de vidro no alto da torre. Nunca fui, mas deve ser super legal 

Já na margem sul do Tâmisa, você logo vai ver a Prefeitura da City of London, um prédio circular de vidro super característico, ao lado do The Shard, o maior edifício da União Européia. 

Após essa passada rápida, siga pela margem do Tamisa até o Borough Market, um mercado de alimentos, que aparece no filme Bridget Jones. 

Após o mercado, continue andando pela margem do rio até o Shakespeare Globe Theatre, o antigo teatro arquitetado pelo escritor. O local fica de frente para a ponte Millennium, uma das mais novas da cidade, construída em 2002. 

Atravesse a ponte Millenium até chegar à suntuosa Catedral de St. Pauls, uma das mais bonitas da Inglaterra. Há, inclusive, vários corais que cantam ali em vários horários. Cheguei um dia e sem querer, ia começar um coral em 30 minutos. Esperei e consegui um lugar lá na frente, foi lindo! 

Obs.: se quiser ter uma vista beeem legal da cidade vá até o terraço do shopping One New Change. Vista ótima e gratuita

Depois, pegue o metro na própria estação de St Pauls e siga até a Piccadilly Circus

A Piccadilly Circus é uma das principais praças da cidade, onde temos várias lojas (e super promoções na Lilly Whites), teatros e vida noturna.




ROTEIRO DE 3 DIAS EM LONDRES 


Manteria a programação dos dias 1 e 2. O terceiro dia, faria deste jeito:

Início do dia no bairro de Notting Hill, onde temos o famoso mercado de Portobello e várias locações do filme de mesmo nome. 

Se for um sábado, será bom para aproveitar o mercado de Portobello, que vende vários objetos vintage. 

Dali, siga de metro até a estação de Baker Street, onde podemos conhecer dois museus bem legais: Madame Tussauds e o Sherlock Holmes. 

Saindo dos museus, siga para a Oxford Street, uma rua com mais de 3km com muitas lojas (e para todos os gostos e bolsos). Se não tiver tempo para andar a rua toda, foque no pedaço entre as estações de metro Oxford Circus e Marble Arch, com destaque para a loja Primark (pertinho de Marble Arch) que tem preços inacreditáveis e muita variedade!





ROTEIRO DE 5 DIAS EM LONDRES 

Mantendo os dias 1, 2 e 3 como descrito acima

  • DIA 4
Comece o passeio no Palácio de Kensington, descendo na estação de metro High Street Kensington.

O palácio tem certas áreas abertas a visitado em alguns meses do ano, inclusive várias exposições legais. Se não quiser entrar, tudo bem, mas não deixe de ver os jardins do palácio, incluindo os jardins da princesa Diana, que são lindos. 




Passeie com calma pelos jardins, que são enormes e depois siga para o Royal Albert Hall, uma casa de shows super famosa na cidade. De lá, vá até a região de South Kensington. Você pode ir à pé, se não se importar em andar uma distância moderada, ou de metrô (basta descer na estação de South Kensington). 

Em South Kensington, encontramos alguns dos principais museus da cidade. São eles Natural History, Science e o Victoria & Albert. Se tiver que optar por apenas um, sugiro o Natural History, um museu bem completo e nada integrante, com simuladores de terremotos, esqueletos de dinossauros, troncos de sequóias gigantes, tudo bem explicado. 

Saindo dos museus, pode seguir pela Brompton Road até a Harrods, uma loja de departamento de marcas de luxo, com seis andares. Vira e mexe tem promoção e preços bem legais haha

Saindo dos museus, siga de metrô até a estação de Fulham Broadway para conhecer o estádio de futebol do Chelsea (Stamford Bridge) , um dos times mais famosos de Londres. A visita ao estádio é super legal e interativa. Os ingressos podem ser comprados na hora ou online, com antecedência e descontos. 


  • DIA 5
Comece o dia com uma passada rápida na Abbey Road, a rua que serviu como capa do CD dos Beatles. Basta descer na estação de metrô de St. Johns Wood e andar umas quatro quadras até a tal rua. Na própria estação, tem uma lojinha de produtos da banda. Já comprei várias lembranças haha

A faixa não é a original mas mesmo assim faz a alegria dos fás, como eu haha. Podemos ver também os estúdios da Abbey Road, com o muro onde escrevemos mensagens para os membros da banda. 




Obs.: Há uma câmera próxima à faixa de pedestres que transmite tudo em tempo real, inclusive para o Brasil. Basta colocar "Abbey Road Cam" no google e você encontrará. Os vídeos costumam ficar disponíveis por 24h

A próxima parada será o parque de Primose Hill, uma colina bem tranquila com uma vista da cidade. De lá, siga para o Regent's Park, um dos maiores parques da cidade, com lagos e o zoológico de Londres. 





ROTEIRO DE 7 DIAS EM LONDRES 


Mantendo os 5 dias como descrito acima

  • DIA 6 
Comece o dia na estação de metro de Warwick Avenue, para conhecer a região de Little Venice. O local é bem pequeno e fofinho, cheio de canais e várias casas-barco. Apesar do nome bem sugestivo em referência à cidade de Veneza, o lugar me lembro (muito!) Amsterdam! Talvez por conta de ter ido no inverno ... Se for na primavera ou verão, acho que verá um lugar bem mais florido e bonito. 



Dali,saem barcos até Camden Town, um bairro super alternativo, onde predominam símbolos de rock e metal. Se for num domingo, ainda poderá ver o mercado de Camden, que é super legal. 

Ps.: Se você for fã de Harry Potter, antes de seguir para o British Museum, vá de metro até a estação de Kings Cross, onde podemos ver a plataforma 9 3/4, e tirar fotos com trajes típicos do filme.




Saindo de Camden, sugiro ir de metro até a estação de Russell Square (linha azul escura) para descer no British Museum, um dos maiores museus da cidade. 

Saindo do British Museum, já à noite, sugiro ir até o London Pub (Woburn place, embaixo do Hotel Royal National). Foi ali que comi o melhor fish and chips de todos!



  • DIA 7 
No último dia, sugiro fazer algum bate-e-volta para Londres. São MUITAS opções, vou listar aqui abaixo apenas as principais

Se quiser ir para lugares mais próximos, com até 1h de viagem, em média, as melhores opções são as seguintes:

  • CASTELO DE WINDSOR 
Este é um dos castelo oficiais da rainha, para onde ela costuma ir durante suas férias de verão. Está situado há cerca de 20km do centro de Londres. Se quiser saber mais, é só clicar neste post aqui que fiz sobre minha visita.


  • PALÁCIO DE HAMPTON COURT 
Situado na zona 6 do metrô ( a mesma que o aeroporto de Heathrow) o palácio ganhou evidência durante reinado de Henrique VIII. Nunca fui, mas tenho muita vontade de conhecer.


  • ESTÚDIOS DA WARNER BROS. (HARRY POTTER)
Como fã de Harry Potter, uma visita as estúdios nunca faltaria no meu roteiro. Mas isso é para cada um. Óbvio que a visita é ótima mesmo para quem não é fã (ou quem já não lembra direito da história) mas cada um sabe suas prioridades. Se quiser saber mais sobre o local, clique aqui e aqui


  • CAMBRIDGE 
Conheci Cambridge este ano e fiquei encantada pela cidade! São muitos passeios legais e é super fácil e barato comprar passagens de trens Londres-Cambridge. Para saber sobre como foi meu bate-e-volta, clique aqui


  • GREENWICH 
Apesar de ser uma região de Londres, chegar até Greenwich pode ser demorado (as principais opções são de barco ou metrô) e o lugar merece ser visitado com calma, então reserve ao menos metade do dia. Meu dia por lá está resumido aqui


Já dentre as opções mais distantes, podemos citar:

  • OXFORD
Impossível falar em faculdade sem pensar em Oxford né?! Fui lá durante o inverno, num bate-e-volta e adorei a cidade. Saiba mais aqui


  • SALISBURY/STONEHENGE 
Salisbury é base para fazer o passeio até Stonehenge, distante cerca de 10km desta cidade. É super possível conjugar uma visita as duas cidades, distantes cerca de 1:30h de Londres. Para saber meus relatos por lá, clique aqui 


  • CANTERBURY
Outra cidade que não conheço mas que tenho curiosidade


  • WINCHESTER 
Famosa pela lenda do rei Arthur e os cavalheiros da távola redonda, fui a Winchester em 2007 e a cidade é bem fofa. Infelizmente ainda não tenho post sobre ela, pois minha passagem foi bem rápida.


  • BATH 
Já quase no País de Gales, está Bath, cidade famosa pelo banhos romanos de água quente. Fui a Bath de passagem pra Cardiff e ainda não fiz postagem para ela, mas realmente merece a visita 


  • STRATFORD-UPON-AVON 
Cidade medieval super bem conservada, terra de Willian Shakespeare. O local tem muita história e a viagem é super legal. Saiba mais aqui


  • CARDIFF
Capital do País de Gales, uma cidade pequena porém linda e com vários atrativos turísticos. Minha visita está resumida aqu


São muitas opções de bate-e-volta, mas sugiro sempre fazer viagens de até 2h para ir e mais 2h para voltar. Mais que isso acho ruim, pois você perderá muito tempo e isso pode prejudicar sua visita, principalmente se for inverno, quando o sol se põe mais cedo. 

O roteiro também é totalmente ajustável. Se você gosta de parques, uma sugestão seria ir até Hampstead ou Richmond. Caso goste de museus, pode optar pelo Churchill, Imperial War, etc. Se quiser fazer um programa único e diferente, opte por um chá da tarde (recomendo o do Ritz)

Realmente sugiro fazer os 3 primeiros dias pois é onde concentrei as atrações mais famosas, depois abe a cada um escolher seus destinos. 


















domingo, 8 de outubro de 2017

23 Cenários de Harry Potter na Inglaterra e Escócia que todo fã precisa conhecer

Já tinha falado aqui sobre vários cenários de Harry Potter em Londres. Adoro cinema, Harry Potter (e tudo relacionado ao seu universo) e sempre tento encaixar algum cenário de filme em meus passeios. Desta foi não foi diferente e só nos surpreendemos 



INGLATERRA 

A história de Harry Potter se passa na Inglaterra e é claro que muitas locações do filme está no país. A maioria dos turistas que visita a Inglaterra monta base em Londres e já na cidade conseguimos ver vários pontos legais


  • Estação de Kings Cross

A estação de embarque para Hogwarts no dia 01 de Setembro existe de verdade e fica na zona 1 do metrô de Londres. Cortada pelas linhas Northern e Victoria, a estação (vizinha à estação de St. Pâncreas) é uma das mais movimentadas da cidade, de onde partem trens para vários lugares do interior da Inglaterra.



Lembra quando o Harry vai pedir informação no primeiro filme e o guarda está explicando a uma moça sobre o trem para Cambridge ? Realmente se você está querendo ir para Cambridge a estação é uma das melhores opções. 



Há alguns anos, a plataforma 9 3/4 ficava do lado externo e quase nenhum funcionário sabia informar o que era ou onde ficava (muitos nem sabiam que existia essa referencia ao filme) mas de poucos anos pra cá, a estação inaugurou uma loja exclusiva de produtos do livro/filme e uma placa característica do filme bem em frente. Vá com paciência pois as filas costumam ser grandes. De dia, é comum ter fotógrafos que vendem uma foto sua no local. 


  • Piccadilly Circus 
Além de ser uma das praças mais famosas da cidade, a Piccadilly apareceu em duas ocasiões no filme Relíquias da Morte, parte 1 

A primeira, logo quando Harry, Ron e Hermione fogem do casamento do Gui e Fleur, desbaratando bem em frente ao letreiro luminoso



Ainda nas Relíquias da Morte, o trio está pensando num lugar para se esconder, quando Hermione se lembra que é aniversário do Harry. Nessa cena eles estão no Trocadero Arcade



  • Australian High Commission 
Localizada na rua Strand, bem pertinho da loja de chás Twinings, encontramos a embaixada da Austrália. Este local serviu como inspiração para o banco Gringots


  • Ministério da Magia 
Bem pertinho da Trafalgar Square, outra praça bem turística na cidade, temos o local que serviu de cenário para o ministério da magia.




Localizado na esquina entre as ruas Great Scotland Yard e Scotland Place encontramos a arcada bem familiar.



O local aparece em dois filmes da série: Ordem da Fênix, quando Harry vai a audiência por uso irregular de magia com o Sr. Weasley (infelizmente a cabine telefônica não existe de verdade) e a mesma esquina aparece nas Relíquias da Morte, parte 1 quando o trio principal usa a poção polissuco para entrar no ministério e pegar a Horcrux.




  • Estação de metrô Westminster 
Ainda falando sobre Harry Potter e o Sr. Weasley, quando os dois estão indo para o ministério, passam por uma estação de metrô. Trata-se da estação de Westminster, bem pertinho do Big Ben. 



  • Ponte Lambeth North 
É a ponte com detalhes vermelhos por onde o Nightbus passa no terceiro filme da série, o prisioneiro de Askaban. 


  • Leadenhall Market 
Localizado na Gracechurch street, o mercado fica no centro financeiro de Londres, perto do monumento ao Grande Fogo. O local aparece na Pedra Filosofal, quando Hagrid leva Harry para o Beco Diagonal




  • Borough Market 
O mercado, já famoso pelo filme Bridge Jones, aparece no terceiro filme da série, quando Harry olha pela janela do caldeirão furado.



  • Ponte Millenium 
A ponte liga as margens sul e norte do rio Tâmisa, com uma vista incrível da catedral de St. Pauls e aparece sendo destruída no início do sexto filme da série, Enigma do Príncipe. 


  • Zoológico de Londres 
O local aparece no primeiro filme da série, quando Harry fala, pela primeira vez, com cobras 


  • Big Ben e Tower Bridge 
Os dois ícones de Londres também aparecem na Ordem da Fênix, quando Harry e a ordem viajam de vassoura até o Lago Grimmauld. 



Já fora da cidade de Londres, existem várias outras locações, como o castelo de Alnwick (que serviu de cenário para Hogwarts, principalmente no primeiro filme) e o Christ Church, um campus da universidade de Oxford que tive o prazer de conhecer em 2013 e serviu para cenário do grande salão. 

E se ainda sobrar tempo (na verdade, eu priorizaria este passeio) vale super a pena incluir uma visita aos estúdios da Warner Bros, em Leavesden, a cerca de 30 minutos do centro de Londres. Fui em 2013 e consegui voltar este ano. O estúdio está com algumas novidades super legais e farei um post especial só para ele 



ESCÓCIA 


Nos anos 90, J.K. Rowling começou a escrever Harry Potter. Durante parte deste período, ela morou na Escócia, então vários lugares que faziam parte de seu itinerário diário acabaram servindo de inspiração para o filme. Só conheci a Escócia este ano e me surpreendi com a quantidade de lugares que me remeteram aos filmes/livros.Praticamente cada esquina da pequena Edimburgo tem alguma conexão com Harry Potter, e óbvio que não reclamei haha 

  • Elephant House 
Localizado no número 21 da ponte George IV, a pequena cafeteria fundada em 1995 atrai fãs de todo o mundo e tem sempre filas enormes em sua porta. Foi neste local que J.K. Rowling passou vários momentos escrevendo páginas de Harry Potter. 






  • Cemitério de Greyfrias 
Não acrescentaria um cemitério no meu roteiro se não tivesse um bom motivo para isso. Foi neste cemitério, que fica atrás do Elephant House, que a J.K. se inspirou para o cenário do Cálice de Fogo, quando ocorre o duelo entre Harry e Voldemort. 




Falando em Voldemort, o nome "Tom Riddle" foi "inspirado" numa lápide no local. Também no cemitério vemos um túmulo de um sr. McGonagall 



Se alguém, tipo eu, for fazer esse turismo e tiver procurando os túmulos, siga pra parte dos fundos do cemitério, mais próxima da George School, é onde estão os dois túmulos. 

  • George Heriot's School 
A escola, vista dos fundos do cemitério, era um local frequentado por meninos e a mensalidade era exorbitante.


Foi dai que J.K. se inspirou para criar Hogwarts, uma escola para meninos E meninas, gratuita. 

  • City of Chambers 
Neste local, além da marca da mão de JK, temos um momento que inspirou a Câmara Secreta. 



  • Victoria Street 
Esta rua serve de caminho para o castelo da cidade e foi nada menos que a inspiração para o Beco Diagonal



Já fora de Edimburgo, seguimos viagem pelas Highlands e Ilha de Skye e encontramos vários outros cenários dos filmes por lá 

  • Viaduto de Glenfinnan 
O viaduto fica a uns 10 minutos de carro da cidade de Fort William. O local conta com estacionamento e uma pequena loja de produtos do filme. Se quiser ver o trem maria-fumaça do filme, sugiro chegar antes das 11h, pois este é o horário que o trem costuma passar. 




É possível ver o viaduto do chão ou fazer uma pequena (micro) trilha de uns 5 minutos para ter uma vista beeeem melhor 

  • Loch Shiel 
Quando subi no mirante dessa trilha, vi o Loch Shiel e logo lembrei do cenário do Lago Negro, inconfundível. E fica bem em frente ao viaduto



  • Highlands 
Várias vezes me deparava com cenários nas Highlands que me pareciam bem familiares e me perguntava se não eram dos filmes, principalmente numa cena deletada em que Ron e Hermione jogam pedras num riacho em Relíquias da Morte. 



Mas, pelo que li, vi que foram feitas cenas do vale de Glencoe, nas Highlands